terça-feira, 29 de dezembro de 2009

ÁGUA E SAL

No peito mágoa, água e sal.
Boca vazia aflora a mente.
Oceano censura, rasga a palavra fere não mata o desejo.
Lampejo de dor, gota rasa, joga fora a dor de amar.
Sussurra solidão à maré, um coração feito de papel,
Naufraga em redenção à sorte, perde a fé.
Espuma espessa embala sonhos, é amor outra vez!
Chega e foge aos olhos, adentra o mar.
Carrega consigo sabor da vida.
Renova e inventa o desejo de amar.
Desvela em rima oceano a poesia.
No peito amor, água e sal.
Ellen Ogath

Nenhum comentário:

Postar um comentário