segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Estação 330


Quando eu estiver velho e não puder mais caminhar sozinho, segure minha mão.
Sentirei o sibilar do vento ao entardecer.
Presságios de que nada irá mudar entre eu e você.
Bolhas de sabão desprendem-se ao vento criando um belo arco-íres circundar.
Fecho meus olhos e o meu coração desperta para esta senda.
Um céu estrelado, um lugar qualquer, uma canção.

Breve... Tão breve!
É o sorriso da esperança.

Flores cobrem meus sonhos.
Realidade, difusão.

Você esboça um tímido sorriso amarelo.
Sua mão não segura mais a minha

Sinto frio, tenho medo.
Ao longe escuto uma canção

Na vitrola, a agulha no disco encontra seu fim.
Interrope a melodia, escorre pelos vãos dos dedos a vida, que finda!
O coração não pulsa ...
Não pulsa .......
Não Pulsa ..........................................
.
A recordação agora, nunca mais, eu irei lembrar.
Canções, imagens, família, amigos, engavetados no jazigo da memória 330.


Ellen Ogath

2 comentários:

  1. Tenho amigos que são muitos queridos e me mandam algumas coisas desse tipo..espero que continue por aqui e sempre deixe sua linda opinião!!! Bjus

    ResponderExcluir